SISO

O manejo do dente siso

Os terceiros molares, mais conhecidos como “dente do siso”, são os últimos dentes a se desenvolverem e aparecerem em sua boca. Eles normalmnte aparecem entre os 17 e os 25 anos, a conhecida ïdade do juízo”.

O que é um dente impactado?

Quando um dente é impedido de alcançar a cavidade bucal ele é chamado de “dente imapctado”. Normalmente os dentes impactados são impedidos de erupcionar por não haver espaço na cavidade bucal. Estatisticamente 9 em cada 10 pessoas tem ao menos um dente do siso impactado.

Um dente impactado pode ser uma coisa séria?

Caso um dente impactado seja negligenciado e deixado na boca sem tratamento, vários são os problemas que podem surgir, tais como: infeção local ou sistêmica; cárie e/ou perda óssea nos dentes vizinhos. Isto ocorre porque é um local de difícil higienização e as bactérias encontram um local perfeito para se instalar e causar problemas. Esta bacteremia pode ainda alcançar a corrente sanguínea causando infecções que afetam o coração, rins e outros órgaos1,2,3.

 

 

 

 

 

 

 

 

Complicações como infecções (fig a)

Problemas nos dentes adjacentes (fig. b)

Formação de cistos ou tumores (fig. c)

Por que tratar o dente do siso?

Pesquisas têm demostrado que, uma vez iniciada a perda óssea na região do siso, o problema se torna persistente e progressivo, mas pode ser revertido ou melhorado após a extração do dente.4,5,6 Em  algums casos, pode ocorrer a formação de cistos ou tumores que crescem dentro do maxilar podendo alcançar o seu limite e atingir estruturas nobres como nervos, dentes e ossos do maxilar.

 

 

 

 

 

 

 

O siso deve ser extraído mesmo não causando nenhum problema?

Muitas pessoas acreditam que a ausência de dor significa não ter preocupação com o siso. Mas a ausência de dor não significa ausência de problemas. A remoção do dente do siso é recomendada pela Associação Americana de Cirurgia Oral e Maxilofacial. É fortemente recomendado que o paciente adulto jovem seja avaliado pelo Cirurgião Bucomaxilofacial  a fim de verificar a presença do terceiro molar, quantificar/qualificar os problemas e determinar qual a melhor conduta para o caso, garantindo o melhor tratamento para o paciente. Geralmente os Cirurgiões Dentistas concordam que o dente do siso deve ser removido nas seguintes situações:

- Infecções e doença periodontal

- Cáries

- Patologias como cistos e tumores

- Dano aos dentes adjacentes

Dentes do siso completamente erupcionados, assintomáticos, sem cárie e que permitam uma correta higiene podem não possuir indicação de extração. Porém, é aconselhado um acompanhamento anual para monitorar qualquer mudança no perfil.

O dente do siso e a idade

O dente do siso é mais  facilmente removido quando o paciente é jovem pois, em regra, suas raízes não estão completamente formadas, o osso adjacente é menos compacto e há uma menor relação com estruturas nobres adjacentes (nervos e outros dentes). A remoção do siso em pessoas mais velhas é mais complicada, pois as raízes estão completamente formadas (envolvendo estruturas nervosas) e o osso dos maxilares é mais compacto.

O que acontece durante a cirurgia?

Se o seu dentista clinico recomendou a remoção do seu dente do siso, você provavelmente será encaimhado para um Cirurgião Bucomaxilofacial para o procedimento. Previamente à cirurgia, o seu Cirurgião irá discutir o procedimento e lhe dirá o que você pode esperar dele. Este é o momento oportuno para esclarecer as suas dúvidas, não deixe de perguntar nada a ele. Tenha certeza que seu Cirurgião sabe sobre o seu estado geral de saúde e as medicações de que faz uso. Muitas condições podem modificar o procedimento, entre elas podemos salientar: posicão do dente, estágio de desenvolvimento e grau de impactação. O procedimento para remoção é indolor e realizado sob anestesia local com sedação complementar, no consultório odontológico. Em casos excepcionais, o paciente pode ser hospitalizado para que a remoção seja realizada sob anestesia geral. O seu Cirurgião determinará qual a melhor opção para o seu caso.

O que acontece depois da cirurgia?

Após a cirurgia é muito comum a presença de um leve inchaço, que faz parte do processo natural de recuperação do corpo. Compressas de gelo diminuem o edema e a medicação prescrita pelo seu Cirurgião assegura o conforto pós-operatório. A dieta também é alterada para os primeiros dias, voltando gradativamente ao normal.

E se eu decidir manter os meus sisos?

Caso, após discutir com o seu Cirurgião, você decida manter os sisos, tenha o cuidado de instituir uma criteriosa escovação, juntamente com fio dental. Os sisos devem ser avaliados por profissionais capacitados e a realização de radiografias de controle é recomendada anualmente, para certificar que os dentes e gengiva a eles relacionados continuam saudáveis.

Referências

1. Ash M. Costich ER, Hayward JR: A study of periodontal hazards of third molars. Journal of Periodontology 1962;33:209

2. Elter JR, Coumo CJ, Offenbacher S, et.al. Third molars associated with periodontal pathology in NHANES III. Journal of Oral and Maxillofacial Surgery, 2004; 62:440

3. Elter JR, Offenbacher S, White RP, et.al. Third molars associated with periodontal pathology in older Americans. Journal of Oral and Maxillofacial Surgery, 2005; 63:179

4. Stewart PS, Costerton JW: Antibiotic resistance of bacteria in biofilms. Lancet 2001;358:135

5. Stewart PS, Costerton JW: Antibiotic resistance of bacteria in biofilms. Lancet 2001;358:135

6. Sedghizadeh pp, Kumar SKS, Gorur A, et.al. : Identification of microbial biofilms in osteonecrosis of the jaws

Atenção

A informação aqui apresentada não substitui a avaliação especializada pelo Cirurgião Bucomaxilofacial, que fará o diagnóstico e determinará orientações para cada caso. É apenas uma ferramenta de esclarecimento  no intuito de melhorar a comunicação paciente/professional.

Fonte: aaoms.org

CIRURGIA ORTOGNÁTICA

A cirurgia corretiva dos maxilares ou cirurgia ortognática é executada por Cirurgiões Dentistas que cursaram pós-graduação em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, programa que contempla 3 anos de curso em regime integral, realizado em  ambiente hospitalar. Uma grande quantidade de problemas, em maior ou menor grau, afetam os dentes e/ou estrutura óssea do maxilar. A cirurgia ortognática pode melhorar consideravelmente a mastigação, a fonação (fala), e a respiração. Muitos pacientes submetidos têm a estética facial melhorada com a correcto funcional dos maxilares. Abaixo algumas condições que podem indicar a necessidade de cirurgia ortognática:

- Dificuldade de mastigação

- Dificuldade de deglutição

- Dores crônicas da articulação têmporo-madibular (ATM)

- Dores de cabeça

- Apertamento dental (bruxismo)

- Incapacidade de encostar os lábios sem esforço adicional

- Mordida aberta ( espaço entre os dentes superiors e inferiors mesmo com a boca fechada)

- Respiração bucal

- Apnéia obstrutiva do sono (probleamas respiratórios durante o sono incluindo ronco)

Quem precisa de cirurgia para correção dos maxilares?

- Os benefícios da cirurgia ortgnática são alcançados em pessoas com oclusão (mordida) incorreta por falta de alinhamento tanto dentário como dos maxilares

- Em alguns casos há uma diferença de crecimento entre os maxilares superior e inferior, problemas congênitos (de nascença) podem afetar o correto alinhamento das arcadas dentárias.

- Enquanto a ortodontia corrige apenas dentes mal alinhados a cirurgia ortognática corrige maxilares que estão mal alinhados

 Como saber se você precisa da cirurgia ortognática?

O seu dentista clinico geral, o Ortodontista e o Cirurgião Bucomaxilofacial trabalharão junto para determinar a necessidade da cirurgia. O Cirurgião irá escolher qual a técnica cirúrgica mais adequada para o caso. É importante salientar que os pacientes candidatos à cirurgia normalmente fazem uso do aparelho ortodôntico antes e depois da cirurgia e o tratamento na sua totalidade  dura vários meses. O Cirurgião e o Ortodontista poderão discutir o seu caso com a sua família para estimar o tempo aproximado para completar o tratamento

A Cirurgia Ortognática pode reposicionar parte ou todo o maxilar superior (maxila), o maxilar inferior(mandíbula) e o mento (queixo) de acordo com a necessidade individual de cada paciente. Quando você estiver totalmente informado sobre os procedimentos e opções de tratamento a equipe decidirá qual o mais adequado para você.

O diferentes tipos de Cirugia Ortognática

Correção mordida aberta: A base óssea superior posterior é diminuída e a rotação mandibular faz com que o engrenamento dental ocorra corrigindo a mordida aberta.

 

 

 

 

 

 

Correção da classe II (pouca projeção do queixo): após as osteotomia (corte no osso) serem realizadas os segmentos ósseos deslizam um sobre o outro permitindo o correto engrenamento dental. Como complemento pode-se fazer um corte no mento (queixo) que ao ser avançado confere um perfil esteticamente muito mais agradável.

 

 

 

 

 

 

Correção da classe III (queixo projetado): após as osteotomia (corte no osso) serem realizadas os segmentos ósseos deslizam um sobre o outro permitindo o correto engrenamento dental e melhorando a estética facial.

 

 

 

 

 

 

Como funciona a Cirurgia Ortognática?

Antes da sua cirurgia os dentes são movimentados para uma nova posição que permita o engrenamento dentário após a cirurgia. Nesta fase é comum o paciente achar que a mordida está piorando. Após a cirurgia os dentes superiores e inferiores se engrenam perfeitamente.

Para o correto planejamento há a necessidade de exames complementares, que incluem tomografias, radiografias, modelos de gesso, que servirão para planejar os movimentos cirúrgicos. Atualmente o planejamento é todo computadorizado e o paciente pode ter uma idéia do resultado final.

O procedimento é realizado sob anestesia geral e dependendo do procedimento a alta hospitalar pode ser no mesmo dia ou o paciente fica internado por 24h.

Para realizar a Cirurgia Ortognática usamos técnicas modernas e as incisões (cortes) são realizados todos por dentro da boca, não havendo nenhuma cicatriz na pele.

Após a Cirurgia Ortognática instruções específicas serão repassadas a você, que incluem:

- Dieta líquida pastosa

- Medicação para controle da dor e edema

- Antibióticos

- Repouso relativo

O retorno as atividades varia de 1 a 2 semanas dependendo do procedimento executado. O processo cicatricial inicial se dá de 6 a 8 semanas onde o paciente pode executar qualquer tipo de atividade. O reparo completo da estrutura óssea e muscular se dá entre 9 e 12 meses após a cirurgia

Aproveite os benefícios

- A cirurgia ortognática posiciona os seus dentes e maxilares em posições mais equilibradas, funcionais, saudáveis e estéticas. Embora a cirurgia ortognática melhore a mastigação, muitos pacientes percebem uma melhora na respiração e ronco.

Como utilizar o seu convênio para a cirurgia

A cirurgia ortognática já um procedimento sedimentado na literatura e na prática clínica, os paciente que possuem convênio com planos hospitalares podem ter os custos parcialmente cobertos pelo plano, tais como internações e materiais necessários como placas e parafusos, diminuindo consideravelmente o custo total do procedimento. Após a correta avaliação pelo Cirurgião ele poderá elencar as coberturas fornecidas pelo plano.

Custos da cirurgia ortognática

A três odontologia visa oferecer um tratamento de referência, com profissionais com mais de 10 anos de experiência em cirurgia ortognática. As condições de pagamento podem ser ajustadas através de parcelamentos para que sua cirurgia seja viabilizada sem transtornos ou preocupações.

Atenção

A informação aqui apresentada não substitui a avaliação especializada pelo Cirurgião Bucomaxilofacial, que fará o diagnóstico e determinará orientações para cada caso. É apenas uma ferramenta de esclarecimento  no intuito de melhorar a comunicação paciente/professional.

Fonte: aaoms.org